insignificante
Monday, August 29, 2005
 
As festas de Barrancos começaram tranquilas. Será importante que o próximo Executivo, em conjunto com os outros orgãos eleitos e as forças que representam a continuidade do povo, as comissões e organismos da sociedade (associações,etc) repense com calma a lógica destas. E será importante explicar ao paroco local que se continua por este caminho de prédica e de transformar a religião viva numa doutrina triste e sem festa o seu caminho e ir para o Oriente (de onde foi expulso!).
Tudo deverá ser discutido. Não há volta a dar!
Não ganhámos a continuidade para agora perdermos o ser que somos.a
 
Sunday, August 28, 2005
 
É chão sagrado, sob o qual gerações dos nossos mortos, do século XVII ao século XIX, foram enterrados, é lá que numa lógica também ritual de morte e resureição são mortos desde então (será coincidência?) os toiros, parte do festejo ancestral de saudação do Estio que passa, ligado à festa pagã de 28 de Agosto de S.Gines.
No local, no século XX foi reconstruida uma antiga capela, transformada na hoje igreja paroquial.
Nesta os fiés adoram a Republica, cujo brasão encima o sacrário, e são "vigiados", acompanhados na oração pelo olho maçonico, que enche de referências a igreja.
Nesta temos uma espectacular pintura (seculo XVVII?) em que o papa e os clérigos ardem no fogo do Inferno (por adorarem icones?,na lógica das heresias que ocuparam a Tomina e o Alcance), que ninguém repara pois no centro está a virgem/mãe adorada.
Pois nesta terra temos um paroco vindo das catacumbas que não respeita a lei civil e que com a complacência de incapaz Presidente de Câmara tem aterrorizado os habitantes, com uma cor de fantasma.
O mesmo Pressidente da Câmara que diz que recuperou a liberdade para o concelho...O IGAT sabe que foi o único Presidente de Câmara da democracia que chegou a ter um processo instruído por pressionar coercivamente e com prebendas membros da Assembleia Municipal (funcionários ou futuros funcionários da Câmara...).
Assim vam os em Barrancos, entre fundamentalismo e imbecilidades!
rr
 
Thursday, August 25, 2005
 
Não posso deixar sem comentário a frase do vice-presidente (vice-prefeito) da 2ª mais importante Câmara do país.
"Nas mais diversas câmaras do país há projectos imobiliários que só podem ter sido aprovados por corruptos ou atrasados mentais"
Paulo Morais, "Visão", 25-08-2005,
E acrescentou que aí estão os alfobres dos sacos azuis...
O nosso jeitinho, o nosso mensalão é vasto, muito vasto, Já não é preciso enviar mais um cheirinho para mim.Isto tudo fede, fede há muito tempo.
 
 
Já contei a notável aventura que tive com 6 patetas que se propuseram numa reunião num esconso fazer um partido liberal, numa demonstração da total falência das capacidades de discernimento...pois parece que a ideia liberal, no quadro do que é a concepção desta como fermento de uma nova possibilidade política, em Portugal está definitivamente esgotada.
Hoje saíu mais um número da revista Atlântico, que tenho comprado desde o nº1, com a esperança que pudesse ser um fermento de ideias...
Pois chego agora, após o número anterior já ter suficiente biogas,à conclusão que pese haver alguma qualidade só servirá de recurso, e creio que por pouco tempo e certamente sem a minha contribuição, para produzir sub-produtos de reciclado.
Os artigos infectos de absoluto abundam. Será que não há, neste país, quem se disponha ao relativismo?
Será que tudo tem que estar imerso ou em patetada ou em desgraça de ideias e manipulação grosseira de factos e desses ilusão e doutrina?
Vejo-me cada vez mais um judeu errante em procura de sonho...
 
 
Ontem almocei uma sardinhada entre amigos e, embora essas não fossem daquelas da barbatana, a companhia e as palavras que a moldam e nela pingam o foram.
Lembro-me sempre quando no século XIX estive com o Bakunine e teorizámos sobre as festas, e como estas não deviam, não haveriam, de ter principio nem fim, de como nelas os acontecimentops inesperados, as notícias imprevistas poderiam mudar o curso dos acontecimentos, de como um olhar, um toque haveriam de moldar a vida.
Depois estivemos em muitos sítios.
Em todos contra o absoluto, relativamente como faz parte do ser libertário.
Hoje tenho que começar a pensar num cometa que vai voltar, com as leis da relatividade restrita, a passar.
 
Wednesday, August 24, 2005
 
Acorda-me do dormitar ás 7 horas um telefone desconhecido. Leio meia dúzia de comentários ao insignificante, amistosos e com respostas pessoais. Estes signos vão lentamente constituindo memória (minha que por vezes já nele vou procurando o esquecimento) e também ato (como fica giro sem o c) de realidade.
Sei que estão nalguns favoritos, que fazem alguma opinião, que são mais lidos que miseráveis opiniões que são pagas em jornais de referência.
Vou tendo/lendo e esses "apreços" tem o valor da vida e da amizade, mesmo com as divergências que as fazem e continuam com elas a caminhar.
Vamos entrar num turbilhão, onde iremos ler ouvir muitas inanidades. E vamos disputar as proximas eleições continuando a ter para estas e os seus mandatos um quadro absolutamente surrealista (sistema Câmara/Assembleia e não limitação de mandatos de facto) e candidaturas inacreditáveis.
Nalguns municipios será possível discutir projectos e realizações. Noutros as lógicas "clubistas" imporão chicana e baixezas.
Apoio, particularmente, candidatos que concorrem com várias bandeiras. Do B.E., do P.S.D., da C.D.U. e do P.S..
Nestas eleições o que devia estar em causa devia ser a capacidade de defender um projecto local e a de em torno desse criar uma ideia de sustentabilidade social para as comunidades, fugindo aos pato bravismos e ás megalomanias e interesses espúrios seja economicos, seja partidários.
Há gente assim em todos os partidos. Em todos e contra todos podemos encontrar convergências e divergências. Infelizmente vivemos num país dominado, cada vez mais pelo mediatismo e ilusão.
Como dizia Winston Churchill que cada um, com as suas competências e capacidades resista.
 
Tuesday, August 23, 2005
 
Leio a excelente Veja. É melhor que a trama de um bom policial. Os escroques estão identificados e vão saltando do tapete onde Lulla esconde a sujeira. O Brasil aproxima o fundo. Não pode descer mais no vazio que se instala, na corupção que fede, na capagagem que devia sere toda presidiada.
Vamos descobrindo mais um e mais um numa imensa rede de conluios e sacanagens que deixam o pobre exaurido e lhe bebem champagne pela fome.
Uma vergonha mas na linha do troskismo que esses proceres defenfem e do stalinismo em que essa ideologia se transforma com o lenisnismo, ou seja o poder.
Todos os absolutos devem ser execrados. Essa será a luta final!
 
Monday, August 22, 2005
 
Agosto vai passando, por entre revistas e livros, jornais e notícias.Hoje algumas notáveis, como a de senadores republicanos a procurarem sair do Iraque e a pandemia da gripe das aves a chegar com as migrações ( e a restringir-nos, cada vez mais a aves de fabrico em encubadoras...).
E a economia a continuar down the drain, com os preços do petróleo a continuarem a caminhar no sentido vertical e informações de que as reservas não são tão famosas como se previa...q reforçarem o sentido.
 
Sunday, August 21, 2005
 
No El Pais de hoje uma notável entrevista de Jacobo Israel Garzón, sobre a vida e o conhecimento. Para ler e usufruir por entre a trepidação do quotidiano e o pensamento nesse, desse.
Em todos há uma luz e essa, esta vale um menorah.
 
Saturday, August 20, 2005
 
Recomendo a exposição de Rafael Bordalo Pinheiro, no decrepito Museu Malhoa, no eterno Parque de Caldas.
Recomendo, novamente, o Mãe d'Àgua no Bombarral.
Recomendo as amizades mesmo quando nestas surgem otarismos, porque esses contam pouco no tempo que está parado, no sentido desses também.
 
Tuesday, August 16, 2005
 
Será que o pensamento dura para sempre? Se desenvolve, cresce? Ou atrofia e se reduciona?
Falei, intervim, escrevi e por vezes leio, lembro como se fosse outro, como se fosse outro com outras capacidades,outras retóricas.
E, todavia, fomos nós que deixámos marcas no espaço e construímos este tempo.
Amanhã vou jantar, um jantar de amigos. Vamos falar, zangarmo-nos e acordar. Há 25 anos tinhamos o mundo aos pés. Hoje estamos no pé do mundo.
Somos, seremos os mesmos? Conseguiremos problematizar o chulé em que nos envoveram? Conseguiremos fazer surgir as ideias do fundo da paixão? Como os mosqueteiros e o d'Artacan.o
 
Thursday, August 11, 2005
 
Artigo para o Cometa, de Itabira, de Agosto.

Bilhetes, de cá.

“A mulher de Cesar não basta ser honesta, tem que parecer honesta”
1- Domingo 17 Julho, página inteira do excelente jornal espanhol “El Pais”, foto de uma montanha de reais, apreendidos a um deputado, título “O escandalo da corupção política cerca Lula”. O artigo de uma sobriedade notável resume bem a situação. Se estivesse aí juntava-me ás passeatas pelo “impeachment” como fiz quando por um escandalo menor que este passeei para a destituição de Collor. Ou pelo menos subscreveria de cruz a opinião de muitos no PT que propõem que a Constituição volte a impedir a reeleição.
Fala-se que o mensalão chega a Portugal, através da petrolífera nacional (GALP).
Não chega currículo de combatente da ditadura para ser sério.

2- A corupção é a peste da democracia.

3- Para ilustrar a peçonha uma história, verdadeira, sendo os nomes dos personagens arbitrários:
Conheci no tempo em que estudava um jovem chamado Isaltino. Todos os fins de semana fazia na sua velha carrinha 600Km e ia até à terra buscar umas couves e sacos de batatas que vendia aos colegas para pagar o curso. Quando acabou o curso o seu partido, imaginemos que se chamava Social Democrata apresentou a sua candidatura a uma prefeitura. Foi eleito e devo dizer que não foi mau presidente.
Entretanto foi nomeado ministro e, nessa altura foi-lhe descoberto uma conta (redonda, como costumamos dizer) na Suíça. Logo ele disse que era do sobrinho, que aí era taxista. Entretanto foi constituido arguido pelas autoridades judiciais. Pois esse senhor agora volta a candidatar-se à prefeitura (e como foi expulso do partido candidata-se como independente…com o apoio implicito de outro partido, que chamaremos Socialista, que nunca apresentou candidato de verdade contra ele!).
Pois entretanto sabemos que o coordenador eleitoral do tal Socialista, que chamaremos com o nome ficticio de Jorge, é sócio, numa empresa de cartografia que tem contratos com muitas câmaras, do sr. Isaltino… E sabemos das muitas aventuras de prefeitos com os dinheiros de empresas que para favorecerem negócios (e com bola à mistura é mato). De um partido ou de outro, as parecenças com a lesma são inúmeras.
Podia contar muitas outras histórias…por exemplo inventar um sr. Narciso, pobre presidente da Câmara que foi apanhado pela mulher com a secretária (ou nela) e que no divórcio pede uma fortuna descomunal. Ele não dá. Na semana seguinte um jornal anuncia na 1ª página entrevista da sra na próxima semana. Na próxima semana entrevista não dá! Deu o quê??
Se respondeu fortuna para a mesa do canto, acertou!
Ou uma sra Felgueiras e imaginá-la foragida no Brasil (se calhar secretariando algum mensalão). Ou um facínora que devia estar em prisão maior por cumplicidade em assassinatos políticos que deixa o munícipio na maior miséria, mas vai Torres e Torres erguendo, o nome é um hipotético Avelino.

4- Meus caros leitores é com nojo que conto estas histórias. É com nojo que vemos o que se passa no Brasil (que é o fim de uma esquerda que se deslumbrou com o poder e o dinheiro, para os quais não estava preparada e que o hipotecou, hipotecando-se! por benesses e lentilhas).

5- Sou um descrente, também dos partidos e das falsidades a que se chamaram ideologias. Defendo uma economia ambientalmente sustentada, o direito e a liberdade. E nunca tive fé no sr. Lula (que defendo coisas contraditórias!). Conheci, em Portugal no tempo da ditadura personagens fscinantes que estão ou estavam em partidos diversos (o Almirante, do PC do B, o Pedro Cavalcanti, próximo de Brizzola, o Ladislau Dowbor (do grupo do Marighela) e já com a democracia aí o Lutzenberg (que foi ministo de Collor) ou o então deputado tucano Fábio Feldman. Com eles tive diferentes níveis de simpatia. E vejam bem que cobrem o espectro político, ideológico todo.

No momento tive com eles simpatia ou amizade.O momento fica na memória e se recorda. Todos esses que nomeei defendiam suas ideias e com elas tive acordos e desacordos. Com todos eles acreditei no pôr do sol, na amizade que se desenvolve num convívio, transversal ás ideologias ou o que isso seja.
A amizade, para mim em todos os casos, é incompatível com ausência de príncipios.
Diz-me com quem andas dir-te-ei quem és!

6- Penso que tudo isto vem de muito atrás. Da ausência de uma cultura cívica, que assente em regras de verticalidade e ética de responsabilidade. Não é questão de ideologia mas de absoluto. Só quem pensa que tem o absoluto consigo pode usar todos os métodos,de todos os processos para o atingir e justificar.(mensalão, jeitinho, mafiagem, gulag, etc).
Esse é deus, o bem do povo, a patria, o clube, a virtude.
Mas qual?
A esse propósito e porque aí, na intolerância está o germem de tudo isto leio o notável livro de Francisco Xavier de Oliveira de 1762, só agora editado em português. O título “O Cavaleiro de Oliveira queimado em efígie como Herético”. Pois a Inquisição quando não podia deitar a unha até efiges queimava.E sobretudo detestava quem argumentava e denunciava as crapulagens que por baixo das batinas se faziam (e fazem).
Uma notável é o desrespeito pelo catolicismo do 2º Mandamento, tal como foi dado a Moisés, o que deveria valer a excomunhão do Papa e de toda a Cúria romana. Sobre isso e sobre os Papas Perversos (agora editados) vos falarei proximamente, assim passe este nojo que me invade!

ˇ
 
Wednesday, August 10, 2005
 
Agosto e as leituras...Conforme escrevi já devorei o Equador e estou a acabar Longe de Manaus, tendo já começado o excelente Democracia em Cabo Verde, de Onésimo da Silveira. Uma surpresa maravilhosa. Pelo meio umas revistas, a Mais Alentejo, one a qualidade dos textos não acompanha a excelência das fotografias e da impressão, a Veja, indispensável para perceber semanalmente até onde chega a corupção do que já foi um Partido de Trabalhadores, mais umas revistas de ciências humanas e de história.
Ontem fui almoçar com um velho amigo e camarada ao Trempe, em Campo de Ourique. Excelente, recomendo vivamente.
Penso que o convenci do apoio a Mário Soares, no meio da indignidade que campeia e de que o espancador Carrilho foi ontem (mais, mais uma vez!) protagonista.
Vamos eleger um homem livre, sem compromissos, que não as fidelidades "familiares", para 1 (um) mandato, no qual poderá (e só ele com um mandato e a não correr para a reeleição!) mudar um regime moribundo.
Penso que o renascimento da democracia só poderá ter com fautor o patriarca da mesma.
Como da 1ª vez quando bordejava os 10% irei apoiá-lo. Se e quando me pedirem.
E aproxima-se o "ferragosto". Lembro os meus amigos radicais e a 1ª vez que participei num congresso do Partito, e conheci a Karin. Tanto tempo que é tanto tempo!s
 
Monday, August 08, 2005
 
O sopro. O sopro de Deus. O último sopro. O primeiro sopro. No sopro para tudo. No sopro existe a vida e a morte. No sopro vê-se o espírito que passa e que passa.
O sopro do orgasmo. O sopro da meditação, as suas energias que são sopro e que se desvanecem e continuam a suspirar.
O sopro dos que continuam a honrar e recordar os sopros que ficaram, na passagem.
 
Wednesday, August 03, 2005
 
Leio no Commondreams que nos últimos 10 dias 39 marines foram mortos em combate no Iraque. Se a média se mantivesse seriam 1400 por ano, o que é pior do que nos piores momentos do Vietname.
Escrevi sobre o anunciado fim da guerra proclamado, com pompa e circunstância por G. Bush.
Escrevci que a contra-insurgência iria dar cabo da moral, da capacidade, da resistência americana e que teriam que sair do Iraque como sairam do Vietaname, com o rabo entre as pernas. E infelizmente com o terrorismo disseminado.
Qualquer um percebe o fiasco da política norte-americana (e o regresso subtl do "draft", conscrição militar) é a prova no que se refere ao mundo muçulmano.
Com a Arábia Saudita a reforçar o conservadorismo as areias movediças do deserto irão ser o elemento que começará a engolir o Império. E a China está a crescer.
O mundo não está a ficar melhor, seja para que lado que olhemos. Cada vez mais dos grandes aos pequenos vemos por todo o lado "mensalões" a perturbar a paz e a democracia.
Será que há saída para tudo isto?
Será que aionda estamos a tempo de fazer ouvir a nossa voz?
Será que ainda temos voz?
 
Tuesday, August 02, 2005
 
O homem há que dizé-lo claramente é uma autentica nodoa, embora se chame Vara.
Tal como o Gomes é o pior, o piorio do PS. E tal como o Gomes foi alcandorado a uma lugar para o qual também só a sua experiência no gamanço dos bens públicos o (os) habilitou.
Estamos entregues à bicharada.Há que dizé-lo com frontalidade.
Há que dizé-lo com todas as letras.
Assim não há paciência que resista. Não há país para resistir!
 
Monday, August 01, 2005
 
A mentira é a verdade e a verdade mentira. Também com o Chomsky aprendi a ler nas entrelinhas e a confrontar o escito com a realidade e os dados objectivos que a fazem.
Leio, com interesse moderado uma revista de direita, o Atlântico e outra de esquerda o Diplomatique.
Nos últimos números (de Agosto) fico constrangido com ambos. Publicam tanto um como outro a coberto de notícia artigos que nem na mais reles opinioão seriam toleráveis (para além das inuteis páginas centrais do Diplo, para as quais há que remeter para o El País de domingo!).
Um artigo sobre o Iraque no Atlântico (do mais puro delírio demagógico e mal escrito) e o da última página do Diplomatique (com a mesma lógica!) mostram até onde pode chegar a manipulação.
Esquerda e direita usam a mesma demagogia e mentira.Quem a come?
Onde está a verdade? Haverá verdade?á
 
civetta.buho@gmail.com

ARCHIVES
06/01/2003 - 07/01/2003 / 07/01/2003 - 08/01/2003 / 08/01/2003 - 09/01/2003 / 09/01/2003 - 10/01/2003 / 10/01/2003 - 11/01/2003 / 11/01/2003 - 12/01/2003 / 12/01/2003 - 01/01/2004 / 01/01/2004 - 02/01/2004 / 02/01/2004 - 03/01/2004 / 03/01/2004 - 04/01/2004 / 04/01/2004 - 05/01/2004 / 05/01/2004 - 06/01/2004 / 06/01/2004 - 07/01/2004 / 07/01/2004 - 08/01/2004 / 08/01/2004 - 09/01/2004 / 09/01/2004 - 10/01/2004 / 10/01/2004 - 11/01/2004 / 11/01/2004 - 12/01/2004 / 12/01/2004 - 01/01/2005 / 01/01/2005 - 02/01/2005 / 02/01/2005 - 03/01/2005 / 03/01/2005 - 04/01/2005 / 04/01/2005 - 05/01/2005 / 05/01/2005 - 06/01/2005 / 06/01/2005 - 07/01/2005 / 07/01/2005 - 08/01/2005 / 08/01/2005 - 09/01/2005 / 09/01/2005 - 10/01/2005 / 10/01/2005 - 11/01/2005 / 11/01/2005 - 12/01/2005 / 12/01/2005 - 01/01/2006 / 01/01/2006 - 02/01/2006 / 02/01/2006 - 03/01/2006 / 03/01/2006 - 04/01/2006 / 04/01/2006 - 05/01/2006 / 05/01/2006 - 06/01/2006 / 06/01/2006 - 07/01/2006 / 07/01/2006 - 08/01/2006 / 08/01/2006 - 09/01/2006 / 09/01/2006 - 10/01/2006 / 10/01/2006 - 11/01/2006 / 11/01/2006 - 12/01/2006 / 12/01/2006 - 01/01/2007 / 01/01/2007 - 02/01/2007 / 02/01/2007 - 03/01/2007 / 03/01/2007 - 04/01/2007 / 04/01/2007 - 05/01/2007 / 05/01/2007 - 06/01/2007 / 06/01/2007 - 07/01/2007 / 07/01/2007 - 08/01/2007 / 08/01/2007 - 09/01/2007 / 09/01/2007 - 10/01/2007 / 10/01/2007 - 11/01/2007 / 11/01/2007 - 12/01/2007 / 12/01/2007 - 01/01/2008 / 01/01/2008 - 02/01/2008 / 02/01/2008 - 03/01/2008 / 03/01/2008 - 04/01/2008 / 04/01/2008 - 05/01/2008 / 05/01/2008 - 06/01/2008 / 06/01/2008 - 07/01/2008 / 07/01/2008 - 08/01/2008 / 08/01/2008 - 09/01/2008 / 09/01/2008 - 10/01/2008 / 10/01/2008 - 11/01/2008 / 11/01/2008 - 12/01/2008 / 12/01/2008 - 01/01/2009 / 01/01/2009 - 02/01/2009 / 02/01/2009 - 03/01/2009 / 03/01/2009 - 04/01/2009 / 04/01/2009 - 05/01/2009 / 05/01/2009 - 06/01/2009 / 06/01/2009 - 07/01/2009 / 07/01/2009 - 08/01/2009 / 08/01/2009 - 09/01/2009 / 09/01/2009 - 10/01/2009 / 10/01/2009 - 11/01/2009 / 11/01/2009 - 12/01/2009 / 12/01/2009 - 01/01/2010 / 01/01/2010 - 02/01/2010 / 02/01/2010 - 03/01/2010 / 03/01/2010 - 04/01/2010 / 04/01/2010 - 05/01/2010 / 05/01/2010 - 06/01/2010 / 06/01/2010 - 07/01/2010 / 07/01/2010 - 08/01/2010 / 08/01/2010 - 09/01/2010 / 09/01/2010 - 10/01/2010 / 10/01/2010 - 11/01/2010 / 11/01/2010 - 12/01/2010 / 12/01/2010 - 01/01/2011 / 01/01/2011 - 02/01/2011 / 02/01/2011 - 03/01/2011 / 03/01/2011 - 04/01/2011 / 04/01/2011 - 05/01/2011 / 05/01/2011 - 06/01/2011 / 06/01/2011 - 07/01/2011 / 07/01/2011 - 08/01/2011 / 08/01/2011 - 09/01/2011 / 09/01/2011 - 10/01/2011 / 10/01/2011 - 11/01/2011 / 11/01/2011 - 12/01/2011 / 12/01/2011 - 01/01/2012 / 01/01/2012 - 02/01/2012 / 02/01/2012 - 03/01/2012 / 03/01/2012 - 04/01/2012 / 04/01/2012 - 05/01/2012 / 05/01/2012 - 06/01/2012 / 06/01/2012 - 07/01/2012 / 07/01/2012 - 08/01/2012 / 08/01/2012 - 09/01/2012 / 09/01/2012 - 10/01/2012 / 10/01/2012 - 11/01/2012 / 11/01/2012 - 12/01/2012 / 12/01/2012 - 01/01/2013 / 01/01/2013 - 02/01/2013 / 02/01/2013 - 03/01/2013 / 03/01/2013 - 04/01/2013 / 04/01/2013 - 05/01/2013 / 05/01/2013 - 06/01/2013 / 06/01/2013 - 07/01/2013 / 07/01/2013 - 08/01/2013 / 08/01/2013 - 09/01/2013 / 09/01/2013 - 10/01/2013 / 10/01/2013 - 11/01/2013 / 11/01/2013 - 12/01/2013 / 12/01/2013 - 01/01/2014 / 01/01/2014 - 02/01/2014 / 02/01/2014 - 03/01/2014 / 03/01/2014 - 04/01/2014 / 04/01/2014 - 05/01/2014 / 05/01/2014 - 06/01/2014 / 06/01/2014 - 07/01/2014 / 07/01/2014 - 08/01/2014 / 08/01/2014 - 09/01/2014 / 09/01/2014 - 10/01/2014 / 10/01/2014 - 11/01/2014 / 11/01/2014 - 12/01/2014 / 12/01/2014 - 01/01/2015 / 01/01/2015 - 02/01/2015 / 02/01/2015 - 03/01/2015 / 03/01/2015 - 04/01/2015 / 04/01/2015 - 05/01/2015 / 05/01/2015 - 06/01/2015 / 06/01/2015 - 07/01/2015 / 07/01/2015 - 08/01/2015 / 08/01/2015 - 09/01/2015 / 09/01/2015 - 10/01/2015 / 10/01/2015 - 11/01/2015 / 11/01/2015 - 12/01/2015 / 12/01/2015 - 01/01/2016 / 01/01/2016 - 02/01/2016 / 02/01/2016 - 03/01/2016 / 03/01/2016 - 04/01/2016 / 04/01/2016 - 05/01/2016 / 05/01/2016 - 06/01/2016 / 06/01/2016 - 07/01/2016 / 07/01/2016 - 08/01/2016 / 08/01/2016 - 09/01/2016 / 09/01/2016 - 10/01/2016 / 10/01/2016 - 11/01/2016 / 11/01/2016 - 12/01/2016 / 12/01/2016 - 01/01/2017 / 01/01/2017 - 02/01/2017 / 02/01/2017 - 03/01/2017 / 03/01/2017 - 04/01/2017 / 04/01/2017 - 05/01/2017 / 05/01/2017 - 06/01/2017 / 06/01/2017 - 07/01/2017 / 07/01/2017 - 08/01/2017 /


Powered by Blogger